9 de janeiro de 2016

Dia da fotografia


Eu não sei dizer como, ou por quê, a fotografia entrou na minha vida. Mas eu sei dizer quando: desde a infância.
Em um primeiro momento eu andava brincando com uma Kodak Instamatic 101 (sem filme), do meu pai, pela rua; depois colecionava livros Tesouro Disney sonhando com o brinde, uma câmera chamada Tekinha II.
Talvez inspirado por ver meu possui sempre nos fotografando com uma icônica Olympus Trip.
Tempos depois, com o primeiro emprego, eu comprei uma nova Kodak Instamatic 101e dessa vez colocava filme nela. Andei fotografando por Garça, na companhia do meu primo @reinaldoportella
Em 1999 Veio a primeira digital, uma Creative PC-CAM 600, que me permitiu experimentar muito.
Como eu disse, eu não sei a razão dessa admiração pela fotografia desde tão novo, mas lá por 2004 eu tive um transtorno de ansiedade e depressão por conta de alguma rigidez em minha mente e alma, foi aí que reencontrei a fotografia, pouco depois desse episódio, tive nas mãos uma Sony, com ajustes manuais, foi a primeira vez que testei exposição e abertura (tenho a foto: https://flic.kr/p/BAyFV). Meu irmão @abtramontini disse que estava comprando uma DSLR (uma Nikon D50) e se eu tinha interesse em uma.
A partir daí, a fotografia tomou um sentido muiti maior para mim. Trabalho com TI, Sistemas e muita lógica, por mais que que eu ame minha profissão, ela trás estresse a minha vida, e a fotografia virou um contraponto a tanta racionalidade.Nela encontrei minha forma de fazer arte e uma "desculpa" para o ócio, uma razão para sair e apenas fotografar.
Comecei a ler mais sobre, a ver e estudar as fotografias que admirava, fiz amigos como o Hélio, a Lívia, e tantos outros, que muito me ensinaram.
Comprei uma Nikon D40 (que foi para a minha grande amiga @thais) e surgiu alguns "trabalhos", bandas, aniversários, ballet, casamentos... Nesse percurso passei pra uma D80 (que está com o sensacional @diego) e a atual D90.
Foi através das lentes da minha câmera que vi, pela primeira vez, minha esposa...
De novo não sei como a fotografia chegou na minha vida, mas sei muito bem o sentido que ela tomou, meu amigo Leandro, me mostrou o filme Encontro Marcado, onde uma será doente pede para a morte a levar, e diz que "a vida é um conjunto de belas fotografias" e isso tomou o sentido literal para mim, sendo essa é minha forma de compartilhar com os amigos as belezas do que vejo, e daquilo que é minha paixão.

por: Conrado Tramontini
Postar um comentário